O poder em ser um “conector”

“Conecte-se, crie significado, faça a diferença, importe-se, faça falta” – Seth Godin

Há algo de mágico em encontrar ou conhecer um “conector”. Essas pessoas únicas que sempre parecem saber como ajudar ou, se não podem, conhecer alguém que pode e que rapidamente (e de forma solidária) coloca você em contato com elas. Na maioria das vezes, são eles que fazem você se sentir à vontade quase que imediatamente, parecem entender as situações antes mesmo de descrevê-las e exalam calor, energia e interesse genuíno em tudo!

De alguma forma, eles parecem capazes de fazer as coisas acontecerem rapidamente. Embora eles não professem saber tudo, geralmente sabem como fazer quase qualquer coisa acontecer. Eles podem acessar redes conhecidas para ajudar a agilizar o fluxo de informações, o acesso a recursos e a expansão de ideias e oportunidades.

Os conectores constroem pontes entre ideias e ações sabendo a quem pedir para ajudar a realizar as coisas.

Conectores têm uma habilidade extraordinária de fazer amigos e conhecidos. Eles são capazes de abranger muitos mundos, subculturas e nichos diferentes. Os traços comuns aos conectores são a energia, a curiosidade insaciável e a disposição para arriscar – assim como a insistência absoluta de que “conectar” não é o mesmo que “fazer networking”. Onde o “networking” é muitas vezes visto como um meio para um fim, a “conexão” é impulsionada por um interesse genuíno pelas pessoas e pelo envolvimento propositado para melhor apoiar e auxiliar os outros.

À medida que nosso mundo se torna mais interconectado e nossos negócios passam a enfrentar estruturas com mais matrizes, nossa capacidade de não apenas se conectar, mas também de facilitar a conexão, é fundamental para o nosso sucesso.

O nosso sucesso se tornou cada vez mais dependente das interações que temos com os outros, e não dos fatores individuais de sucesso, como comprometimento, trabalho duro e paixão. Pelo contrário, é nossa capacidade de nos envolver ativamente e propositadamente com novas pessoas ou nos reconectar com o que chamo de “laços latentes” que provavelmente serão a fonte de novas idéias, formas de pensar e novas redes que contribuirão para o nosso sucesso. Em essência, o “ROI” (retorno sobre o investimento) em se tornar um conector é muito maior.

Gostaria de incentivá-lo a considerar as 5 dicas a seguir para ajudá-lo a se tornar um conector:

Conexões de Qualidade Não Quantidade: Concentre sua energia e esforços na construção de um número limitado de relacionamentos de qualidade, em vez de apenas um milhão de seguidores sociais. Para ser capaz de se conectar propositadamente com os outros de uma forma que ofereça valor real, você precisa se engajar: conheça-os, o que eles fazem, quais suas “dores”, como eles gostam de operar e quais são seus pensamentos e idéias.

Gerencie seu tempo: Como todos nós temos apenas um tempo limitado, precisamos garantir que estamos investindo da maneira certa. Gastar tempo com seus principais relacionamentos e partes interessadas – mantendo e aprofundando-os. Tire o chapéu de “networker” e coloque o chapéu de “conector”.

Seja curioso: faça muitas perguntas. Grandes conectores sabem o valor das perguntas de qualidade. Eles reconhecem o poder de pedir as pessoas certas para desbloquear novas idéias, construir “rapport”, oferecer novas perspectivas e introduzir novas redes.

Dê primeiro: Como um conector, você está sempre bem posicionado para “dar primeiro”, o que elimina o que geralmente é um medo genuíno com a rede: parecer falso ou ser considerado um “tomador”. Como um conector, que investiu tempo e esforços na construção de relacionamentos de qualidade, sua capacidade de compartilhar conhecimento, idéias e conexões com propósito e valor genuínos é bastante aprimorada. Subsequentemente, também é sua influência pessoal.

Saia do usual: os conectores estão dispostos a sair da zona de conforto e a alcançar pessoas que não conhecem. Muitas vezes perdemos oportunidades porque vamos ao mesmo tipo de eventos, sentamos com as mesmas pessoas nas reuniões e temos as mesmas conversas antigas. Ou pior ainda, nos enterramos em nossos telefones e laptops para evitar a sensação desconfortável de ter que sair e começar uma conversa com alguém que não conhecemos. Sair traz idéias, oportunidades e novas redes.

Nós todos sabemos que as pessoas são o canal para o sucesso – ou fracasso. Como construímos e alavancamos nossas conexões, determinamos nossa capacidade de influenciar com sucesso. Influenciar nossas carreiras, influenciar nossas equipes e influenciar nossos resultados.

O que você pode fazer hoje para construir seu poder como um conector? Me conte o que você faz… faça um comentário.

 

Raphael Saddy é um conector de negócios e pessoas com mais de 18 anos de experiência nas indústrias de Petróleo e Gás, Energia Renovável, Telecomunicações, Automobilística e de Consultoria Financeira. Tendo trabalhado em grandes empresas multinacionais como General Electric, Shell, Nokia e Audi, é formado em Engenharia Mecânica por duas universidades, no Brasil (UFF) e Alemanha (Uni Stuttgart). Possui MBA – Mestrado em Administração de Empresas em Finanças pelo Ibmec-RJ e é especialista em Estratégias Avançadas de Avaliação de Negócios por Opções Reais da PUC-Rio e Fusões e Aquisições da Insper-SP. É também fluente em inglês e espanhol, nativo em português e com conhecimentos em alemão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s