As 12 competências mais valorizadas em líderes e gestores de equipes

“Líderes devem formar relacionamentos baseados no respeito genuíno, um interesse sincero em ver os outros terem sucesso, e uma apreciação por uma variedade de contribuições a um objetivo” (Axner, 1993).

Confesso que sou apaixonado por liderança e a gestão de pessoas. Trabalho como gestor de equipes há mais de 14 anos e, nesse período, tive a felicidade de liderar equipes multidisciplinares (Vendas, Marketing, Serviços, Customer Service, Treinamento), bem heterogêneas reunindo homens e mulheres (de diversas idades, formações) e nacionalidades – brasileiros, argentinos, colombianos, chilenos, peruanos e mexicanos.

Posso dizer, com toda a sinceridade e humildade, que aprendi muito com cada uma dessas pessoas e dos relacionamentos, ao longo dos anos de convivência, com acertos, erros, ganhos e vários aprendizados que contribuíram para que eu aprimorasse minhas próprias habilidades. E é isso que eu quero compartilhar com vocês!

12 competências que um grande líder deve ter e praticar no dia a dia com suas equipes:

1. Respeito – Costumo dizer que devemos tratar os nossos liderados e demais colaboradores desde o estagiário até o presidente da empresa, da mesma maneira. Independentemente de qualquer situação, desafio e metas todos são seres humanos, pais, mães e chefes de família, que merecem respeito e atenção.

2. Liderança pelo exemplo – Sabe aquele velho ditado “faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço?” Vejo muitos “líderes” perderem a confiança e a admiração dos seus liderados justamente por pecarem no quesito atitude, ou seja, o discurso e a prática são completamente diferentes. Usam “dois pesos e duas medidas”.

3. Humildade – Não falo da humildade no sentido pejorativo, mas sim na capacidade de reconhecer limitações e erros. Verdadeiros líderes sabem que servem ao invés de serem servidos. Líderes humildes utilizam seu poder para empoderar outras pessoas. São capazes de, genuinamente, se identificar e criar empatia com seus seguidores. Eles atraem pessoas pela humildade e honra, não pela posição e poder.

4. Motivação – Cabe ao líder entender o que motiva cada um de seus liderados individualmente. Sabemos que atrás de cada profissional há um ser humano com suas idiossincrasias. É importante que o líder entenda o que motiva cada indivíduo dentro de sua organização e proporcione as condições necessárias, dentro dos padrões da empresa, para que cada um atinja os seus objetivos profissionais. Dentro deste contexto, é fundamental que o líder saiba identificar e colocar as pessoas certas nos lugares certos para que cada um cumpra as funções de acordo com suas habilidades e características pessoais e profissionais.

5. Assertividade – O líder assertivo é claro e objetivo na sua comunicação com o time, sem rodeios, e transmite a mensagem com clareza. Ao comunicar as estratégias da empresa para o time demonstra claramente que cada um é responsável pelos resultados. Concede e recebe feedbacks constantes, positivos e/ou construtivos sobre a evolução de cada membro da equipe individualmente.

6. Cumplicidade – A cumplicidade é uma das maiores virtudes de um líder. Como eu costumo dizer: não existe “Super-Homem ou Mulher-Maravilha”, ou seja, ninguém faz nada sozinho. As metas, conquistas e desafios somente são superados em equipe. É muito importante que o líder saiba valorizar os méritos de sua equipe quando as coisas vão bem e também assumir a responsabilidade quando os resultados não acontecem conforme o esperado. A cumplicidade gera ENGAJAMENTO, DOAÇÃO E COMPROMETIMENTO, ingredientes que, muitas vezes, são mais importantes do que as habilidades técnicas que podem ser treinadas e aprendidas.

7. Desenvolvedor de talentos e novos líderes – Grandes líderes constroem grandes equipes. Cabe ao líder identificar talentos e desenvolvê-los para se tornarem futuros líderes de pessoas ou líderes técnicos que, em função da sua capacidade e competência, serão capazes de influenciar novos times. Um outro ponto que vale a pena colocar aqui é que o líder deve contratar profissionais “melhores do que ele” com habilidades e competências complementares às do gestor.

8. Flexibilidade – O líder flexível promove criatividade e traz melhorias. Ele enfatiza as pessoas acima dos procedimentos. Está constantemente sondando o ambiente, reconhecendo tendências internas e externas e adotando as mudanças necessárias para a organização que passa por diferentes ciclos. Líderes flexíveis são mais capazes de transacionar sua equipe por meio de mudanças.

9. Gratidão – A humildade é um dos sentimentos mais nobres que um ser humano pode desenvolver e praticar. A liderança combinada com a gratidão permite que apreciemos as pequenas contribuições. O líder que elogia e reconhece publicamente as contribuições de sua equipe é admirado e respeitado por todos.

10. Conhecimento – O líder precisa dominar com veemência seu segmento de atuação e também acompanhar de perto as mudanças de cenários e ambientes a fim de tomar decisões embasadas, com segurança. Aprender continuamente, inclusive com os liderados, é a maneira mais eficiente para o líder se manter atualizado, sobreviver à competição e administrar mudanças. Quando um líder para de aprender é sinal de declínio de seu status de liderança.

11. Entusiasmo e paixão – Um líder entusiasmado e apaixonado por pessoas, e por aquilo que faz, inspira todos a segui-lo. Supera as adversidades e os obstáculos até mesmo nos momentos mais difíceis. Seu entusiasmo dará energia e impulsionará a equipe.

12. Visão Estratégica – Entender o cenário atual da empresa, área de atuação, mercado, concorrentes e listar os objetivos organizacionais estratégicos factíveis, mesmo os mais desafiadores, é o ponto de partida para a liderança. Liderar é alcançar resultados, porém indicadores devem ser monitorados e controlados para assegurar o cumprimento dos objetivos. Quando os cenários externo e interno se modificam causando desvios nas rotas, devemos implementar alternativas para correção. Sem gestão e administração eficientes, a direção corre o risco de ser insustentável.

Conforme mencionei no começo do artigo essas são algumas das competências que aprendi e procurei implementar como gestor e líder em diversas organizações onde trabalhei. Não há certo e nem errado. Cada líder deve agir de acordo com seus valores, crenças, habilidades e vivência. Espero que meu relato possa ajudar os atuais e futuros líderes de alguma forma.

Reconhecimento e recompensa são importantes para construir comprometimento e fortalecer relacionamentos, “As pessoas trabalham por dinheiro, mas elas vão mais além por reconhecimento, elogio e recompensas”, Dale Carnegie .
Se você também é apaixonado pelo tema não pode deixar de ler esses livros:

1. Dar e Receber, de Adam Grant

2. A Felicidade dá lucro, de Márcio Fernandes

3. Os Vencedores jogam limpo, de Jon M. Huntsman

 

 

Rodrigo Portes Vieira Leite é membro do Grupo ENGAGE For Business, graduado em engenharia elétrica pela FEI, MBA Executivo em Marketing pela ESPM, com especialização em gerência executiva de vendas e gestão estratégica de negócios pela FGV. Possui mais de 23 anos de experiência em vendas, desenvolvimento de negócios e gestão de P&L, atuando em posições de liderança em empresas multinacionais dos segmentos de automação industrial, energia, máquinas e equipamentos. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s